A construção do relacionamento entre marcas e consumidores tem passado por rápidas modificações nos últimos 30 anos, e o próprio conceito de marca não é mais o mesmo.

Antes dos anos 2000, era comum que as marcas fossem simplesmente rótulos de venda para produtos e serviços, mas isso mudou. Agora, as marcas constroem experiências afetivas em torno de si, adaptando o branding para a Era da Humanização.

Esta é uma tendência persistente e tem obtido excelentes resultados, principalmente em relação a engajamento dos consumidores e relações públicas. E é justamente a partir destas narrativas emocionais que as marcas têm construído o seu valor para se tornar mais e mais relevantes.

O Poder de Atração

A humanização de uma marca parte do pressuposto de que as empresas não estão mais vendendo simples produtos ou serviços, mas querem atender as demandas humanas e criar redes de relacionamento com seus consumidores.

Após o surgimento e difusão da internet, mudou o jeito como as pessoas se relacionam umas com as outras e com as marcas, e se tornou necessário estabelecer uma presença constante para criar proximidade e diálogo.

Por isso, ao invés da antiga estratégia de tentar vender um produto a partir das vantagens competitivas que este teria, se fez necessário ancorar esta venda a uma relação humana e que esteja alinhada aos anseios do consumidor.

Este foi um dos principais motivos pelos quais o branding se tornou mais importante para o valor de uma empresa do que a simples venda de produtos ou serviços. Se as pessoas gostam e se identificam com uma marca, se ela torna os consumidores uma parte do time, que contribui para os desejos do seu público, então a marca vende mais produtos, e não o contrário.

Como Humanizar uma Marca?

Humanos conhecem e se conectam com outros humanos. É assim que são construídas as relações pessoais e é desta forma que as marcas estão ficando cada vez mais próximas dos consumidores.

As marcas humanizadas utilizam algumas técnicas para se tornar relevantes para o seu público, e a seguir você confere as 3 principais:

Dê uma personalidade para a sua marca

Muito utilizada como estratégia de humanização, a personalização dá voz e personalidade para a sua marca.

Por exemplo, a criação de um personagem fictício permite que as pessoas tenham uma figura humana com quem se identificar. É importante, no entanto, que esse personagem esteja alinhado com a identidade da marca e que suas interações sejam compatíveis com os anseios dos consumidores.

No exemplo abaixo vemos um post com o avatar “Lu” da Magazine Luiza que conseguiu mais de 200 mil likes e depoimentos emocionados de milhares de pessoas com uma única publicação.

Mostre que a sua marca é feita por pessoas

Mostre que a sua marca é feita por pessoas e não por robôs corporativos. Aproxime os consumidores das pessoas reais que fazem os produtos ou serviços que eles consomem.

Seja parte do diálogo

É fundamental que as interações sociais entre a marca humanizada e o público seja relevante e contextual, principalmente nas redes sociais. A marca deve representar o pensamento dos seus consumidores e ter posicionamentos relevantes sobre temas que são importantes para estes.

E ai? Gostou? Se sim, curta e deixe seu comentário!