Influenciadores Digitais têm sido grandes parceiros do setor B2C nos últimos tempos, especialmente com o crescimento endêmico do alcance das redes sociais. Mas você sabia que o setor B2B também já está aprendendo a se beneficiar destes comunicadores de grande alcance, público e carisma? Venha saber como os Influenciadores Digitais se tornaram grandes aliados das marcas B2B.
Influenciadores que expandem mensagens
Influenciadores Digitais são pessoas que adquiriram fama através da internet. Muitas vezes são Youtubers, ou mesmo blogueiros, comentaristas, articulistas e outras pessoas que são vistas por um grande número de pessoas (e potenciais clientes) como formadores de opinião com credibilidade e carisma.
Há influenciadores digitais na internet de todo tipo, que tratam de diferentes assuntos sob um viés distinto, com intenção de atingir públicos diversos. Por exemplo: o ex-CEO de uma empresa que se torna um guru de negócios postando vídeos no Youtube contando sobre sua experiência e sobre o futuro – Abílio Diniz, bem como a jovem adolescente que faz vídeos na internet e posta fotos no Instagram sobre as novas maquiagens que adquiriu – Kéfera Buchmann.

A ideia de se usar um influenciador digital para se atingir clientes funciona tanto para o setor B2C (business-to-customer), como para o setor B2B (business-to-business) de uma forma bem parecida: usar alguém com autoridade e credibilidade para divulgar a marca e se fazer visível. O segredo da coisa está em escolher o influenciador correto para cada ação de sua empresa levando em conta a mensagem a ser passada, qual a identidade da sua marca, quais as características do público a ser atingido, entre outros fatores.
Por se tratar de um setor B2B, quase sempre os influenciadores digitais (seguindo o modelo do nosso exemplo anterior) estão muito mais próximos do ex-CEO do que da adolescente do Instagram, embora isso não seja uma regra.
O LinkedIn tem um sistema bastante interessante de aferição de influenciadores digitais – os “Top Voices” – pessoas com um grande alcance e que por sua participação na rede ganharam reconhecimento do mercado. Pode ser uma boa jogada escolher agentes como estes.
Um influenciador digital não precisa, necessariamente, ser a referência do seu modelo de mercado (embora seja recomendável que ele também o seja), mas sim, uma pessoa com carisma, facilidade de expressão e que já tenha uma comunidade de seguidores consistente para ser alcançada com uma mensagem objetiva.
Novas estratégias
Uma estratégia que algumas marcas têm adotado (tais como Magazine Luiza e Vale) é transformar seus próprios funcionários em influenciadores digitais. Ter colaboradores dentro da estratégia de branding é uma boa forma de mostrar a cara da empresa e ainda revelar e aproveitar talentos até então ocultos para representar a a marca de forma mais humana, criativa e convincente.

Mas funciona mesmo?
Sim. Comprovadamente, influenciadores digitais pesam na decisão de compra do cliente e também na prospecção de novos leads. Por isso, considere com bastante carinho a possibilidade de se investir em influenciadores digitais para a sua marca. Se o seu negócio ainda não é grande, a vantagem é que também existem micro influenciadores que podem caber em seu orçamento de forma adequada!