fakenews

Imagem: Pixabay | CC0 Public Domain


Um assunto muito em voga atualmente são as famigeradas Fake News, notícias falsas que circulam aos montes pelos mais diversos veículos de comunicação, desde jornais a redes sociais, nas quais fatos são distorcidos ou, de alguma forma, a realidade é aumentada, sempre com o intuito de favorecer apenas um lado da moeda.
O sentimento de desconfiança provocado por tais Fake News é incalculável; como podemos saber o que é, de fato, verdadeiro e o que é falso?
 

Quando transportamos este tema para dentro do universo das marcas, a coisa complica um pouco mais, pois a relação de confiança entre uma marca e seu consumidor é fator sine qua non para o sucesso desta.
Infelizmente, muitas marcas, com a intenção de construir rapidamente valor agregado para seus produtos e serviços, utilizam-se deste artifício, criando o que costumo chamar de Fake Stories. Estrategicamente falando, não existe nada mais desastroso para uma marca do que criar histórias falsas e utilizar-se de maneira equivocada do storytelling, gerando efeitos negativos, muitas vezes irreversíveis, para a imagem da marca.,
NA ERA DAS FAKE NEWS, QUEM MANDA É O CONSUMIDOR
Como sempre costumo dizer, o poder não está nas mãos das empresas, está nas mãos do consumidor. Marcas que contam histórias falsas estão fadadas ao fracasso. Esse é um terreno em que não se pode brincar. Histórias bem contadas têm um forte poder de atração e sensibilização, pois conectam as pessoas, aproximam-nas e criam empatia. Quando uma história é mentirosa, o que acontece? Justamente o inverso. Ao ser descoberta uma história falsa – e acredite, ela será descoberta –, do dia para noite, a vida da marca se tornará um inferno: milhares de pessoas que, até então, haviam acreditado no “conto de fadas” viram detratores ferozes, gerando um efeito devastador quase impossível de reverter.
CONTE SEMPRE HISTÓRIAS VERDADEIRAS
Quando criar uma história para a sua marca, lembre-se sempre do ditado dos nossos avós: mentira tem perna curta. Neste momento, todo cuidado é pouco. É claro que uma boa história está sempre recheada de elementos que a tornam mais atraente e convidativa, como o uso de personagens, cenários, ambientes e uma narrativa contagiante, que envolve o leitor. Mas, no final, seja claro; se for uma história fantasiosa ou fictícia, deixe isso muito claro para o seu consumidor, não omita informação, pois somente dessa forma não haverá maiores problemas no futuro. Até porque, quem é que não gosta de uma boa história, não é mesmo?
E se você se interessou por esse tema, compartilhe esse artigo e continue nos seguindo!