As redes sociais são uma ferramenta poderosa. Apenas no Brasil, mais de 100 milhões de pessoas acessam o Facebook e compartilham conteúdo entre sua rede de amigos, representando grandes oportunidades. Porém, a mudança no algoritmo significa que é necessário repensar como fazer esse trabalho.

Por isso, vamos ver as principais mudanças no site, como elas podem te afetar e o que fazer para manter o sucesso.

AS MUDANÇAS E COMO ELAS PODEM AFETAR

As mudanças giram em torno de um tema principal, melhorar a experiência do usuário. Para isso, o Facebook busca aumentar as visualizações do usuário de seus grupos, amigos e familiares. Isso, por consequência deve diminuir as interações com as marcas.

Essas medidas estão sendo tomadas pois houve uma queda de engajamento do público com a rede, e segundo o criador do site Mark Zuckerberg, eles apostam em uma experiência cada vez mais positiva, através de interações sociais com as quais o usuário tem mais afinidade e interesse.

Para as páginas, isso provavelmente significa uma diminuição direta no número de algumas métricas. Com menores visualizações o alcance, o engajamento total, o tempo de consumo e possivelmente o número de cliques deve diminuir.

Mas nem tudo é tragédia.

COMO CONTINUAR PRODUZINDO?

Segundo o próprio Zuckerberg, essas mudanças devem trazer um aumento no engajamento pontual, especialmente dos seguidores que tiverem maior interesse. Isso significa que a relação deve ser ainda mais próxima, e o usuário deve decidir que a sua marca merece estar dentro de um grupo mais seleto. Por isso, a persona vai ser ainda mais importante, de modo a se aproximar ainda mais dele e entregar o conteúdo mais propício no momento adequado.

Esse conteúdo, mais do que nunca, passa a ser a arma mais fundamental para atingir o público. Como as interações serão menores, ele precisa ser ainda mais relevante e valioso. Práticas simplesmente para atrair cliques devem ser evitadas ao máximo. Mais do que nunca, é preciso focar no interesse real.

Como o Facebook também quer dinheiro, os anúncios não devem ser afetados por essa mudança no algoritmo. Portanto, essa prática pode aumentar. E como sempre, o conteúdo em si deve ser ainda melhor. A briga só vai aumentar, portanto a chance de chamar a atenção e conquistar o público deve diminuir.

Além disso, algumas das respostas para como trabalhar nesse novo ambiente da rede estão no comentário do próprio Zuckerberg.

Em primeiro lugar, os amigos e familiares. Se é na interatividade com eles que o Facebook aposta, uma boa solução é a criação de conteúdos que permitem interações. Os grupos também são uma outra maneira de gerar esse tipo de resultado. Criar um ambiente com uma boa cultura e que promove conversas interessantes pode ser uma maneira de reter o público. Lembrando que cada mínima interação precisa ser valiosa. Como o dono da rede quer, o foco precisa ser na experiência do usuário.

A nova mudança não significa que é o fim do marketing relevante no Facebook. Pelo contrário: ela apresenta novas oportunidades, e quem identificá-las primeiro vai estar na vantagem!